Como combinar facilitação gráfica e facilitação de grupos?

Facilitar: fazer ou tornar fácil, exequível (dicionário).


Não posso mentir, modéstia à parte, é uma delícia poder dizer: eu sou um facilitador de processos! Quem nasceu com ânsia de melhorar o mundo ao seu redor, sejam as relações, os projetos, a vida em sociedade, tem meio caminho andado para se tornar um bom facilitador.


Por outro lado, nós, humanos, temos habilidades distintas. Enquanto uns são exímios com palavras, outros são mais auditivos; já outros, mais visuais. E facilitar não tem só a ver com compreender e parafrasear bem, organizando ideias de indivíduos e grupos.


Há outras modalidades, como a facilitação visual, que diz respeito à tradução em imagens de conceitos complexos, ajudando o entendimento e a retenção da informação.





Sabemos, por pesquisas da neurociência e da aprendizagem, que quantos mais canais cognitivos estimularmos, maior a chance de conseguir comunicar a um grupo de pessoas heterogêneas. Então por que escolher entre a facilitação verbal e a visual? Por que não combiná-las e potencializar ambas ferramentas?


Sim, é possível lançar mão do melhor de cada abordagem: a moderação, a facilitação de grupos, a facilitação visual/ gráfica _ e navegar nas intersecções entre elas. Todas têm em comum o objetivo de facilitar o entendimento, a comunicação, a cocriação e garantir resultados e produtividade coletiva. Então é super válido colocar peças de cada uma na caixinha de ferramentas e escolher, conforme o contexto, o que usar, combinar, recriar.


É comum irmos para um contexto de facilitação de grupos com um modelo visual pré concebido que ajuda a conduzir a discussão. Chamamos esse painel com palavras chave, perguntas e desenhos simples de "template". Você já deve conhecer alguns templates famosos, como o mapa da empatia ou o business model canvas. Mas o mais bacana é saber criar o seu, customizado, de acordo com a ocasião, o tema e o grupo.


Foi unindo essas habilidades, de ouvir, compreender, parafrasear, organizar e mostrar ideias de forma clara, que um grupo de consultores em recursos humanos cunhou, na década de 70, o termo graphic facilitation, definido como: "o uso de imagens de larga escala para conduzir grupos e indivíduos em direção a resultados" (Sibbet, D). Esse método é usado em vários processos como eventos e reuniões, seminários e conferências. O profissional que conduz uma facilitação gráfica é, por sua vez, chamado de facilitador gráfico. Esse profissional está habilitado a usar tanto a moderação quanto a facilitação visual para tornar mais eficazes suas reuniões, processos e projetos.


Gostou de entender mais sobre a combinação de facilitação visual e a moderação de grupos? Então continua atento ao Blog e às redes sociais da @artedaconversa: Instagram, Facebook e Linked In. Já, já tem mais texto sobre esse assunto na sua telinha.


A Kairós

É uma empresa de Pensamento Visual que trabalha com o Método Arte da Conversa! Nos baseamos na combinação de metodologias e saberes de comunicação, colaboração e design e lançamos mão de ferramentas de moderação, facilitação de grupos, ilustração, escrita criativa, storytelling, design thinking, mapas mentais, estratégias visuais e jogos cooperativos para desenvolver inteligência coletiva, resiliência criativa, comunicação da essência e estratégias visuais para pessoas e organizações.


Arte da Conversa

O Método Arte da Conversa torna as reuniões e processos mais produtivos, envolventes e eficazes pois estimula tanto a lógica quanto a criatividade em pessoas e grupos, a fim de se chegar a soluções eficientes e inovadoras.


Fale com a gente: +55 61 98185-0507

| www.artedaconversa.com.br | @artedaconversa